O PORTAL DA PSICOTERAPIA E DA PSICANÁLISE RELACIONAL
Ligue-se à Appsi

mmoita

Author Archives

Entrevista com Prof. Dr. Frederico Pereira

O Prof. Dr. Frederico Pereira, presidente da APPSI – Associação Portuguesa de Psicoterapia Psicanalítica, em entrevista ao jornal Público (5 de Abril 2016).

A entrevista aborda as origens do paradigma relacional em Psicanálise, a formação providenciada pela APPSI no âmbito da actualidade deste paradigma, assim como as várias actividades realizadas até ao momento, como sendo colóquios, grupos de trabalho e jornadas.

Convidamos à sua leitura.

reportagem_1-cópia

1
reportagem_2

2

reportagem_3

3

reportagem_4

4


Primeiras Jornadas de 2016 – Com Neville Symington

As Primeiras Jornadas de 2016 da APPSI – Associação Portuguesa de Psicoterapia Psicanalítica decorreram no dia 5 de Abril, no Porto.

symington_1

O evento contou com a presença do psicanalista Neville Symington. Autor de 15 livros e de múltiplos artigos, conferencista muito activo, foi membro sénior da Tavistock e do Comité Científico da British Psychoanalytic Society. Presidente do Instituto de Psicanálise de Sydney (1987-1993) e Presidente da Sociedade Australiana de Psicanálise (1992-2002). Recebeu o SIGOURNEY AWARD em 2013.

symington_2

O programa destas Jornadas contemplou dois momentos.

symington_3

 

Um Workshop Teórico-Clínico (entre as 11 e 13h), intitulado “The Creation of Sanity”, com comunicação proferida por Neville Symington e comentários por parte do Prof. Dr. Frederico Pereira, presidente da APPSI.

symington_4

Na parte da tarde (entre as 14 e 18h) deu-se a Apresentação de Casos e Discussão Clínica.

A apresentação de casos esteve a cargo da Dra. Patrícia Atalaya e Dra. Madalena Paiva Gomes.


IV Jornadas de Psicanálise Relacional (Espanha) com Peter Fonagy

As IV Jornadas de Psicanálise Relacional organizadas pela IARPP Espanha decorrerão de 28 a 29 de Outubro de 2016.

O evento conta com a participação de Peter Fonagy, renomado psicanalista inglês, com extensa obra publicada.

peter_fonagy

As inscrições decorrem com preço reduzido até 30 de Junho de 2016.

Mais informações aqui >


Conferência IARPP 2016 – Roma

A Conferência de 2016 da IARPP – The International Association for Relational Psychoanalysis – realizou-se nos dias 9 a 12 de Junho.

The Arts of Time: Relational Psychoanalysis and Forms of Vitality in Clinical Process

As Artes do Tempo: Psicanálise Relacional e Formas de Vitalidade no Processo Clínico

A APPSI – Associação Portuguesa de Psicoterapia Psicanalítica e IARPP – Portugal estiveram presentes na mesma como representantes da secção portuguesa da IARPP.

Em termos da ordem de trabalhos, o Prof. Dr. Frederico Pereira, presidente da IARPP Portugal e da APPSI, comunicou aos colegas das várias secções da IARPP os vários eventos já realizados no plano português, assim como as propostas futuras.

O Dr. Sérgio Silva, membro da APPSI, realizou uma comunicação subordinada ao tema “In the desert the flowers bloom in the Imagination”, sendo esta a única comunicação portuguesa na conferência.

iarpp_conference_1

A comitiva portuguesa revelou assim uma participação activa nas várias propostas da conferência.

iarpp_conference_2_pq

A conferência de 2017 da IARPP será realizada em Sydney, Austrália.

Reveja o anúncio da Conferência de 2016 da IARPP>

Reveja o programa da Conferência da IARRP de 2016 >


O Centro Internacional de Psicossomática (CIPS)

O Centro Internacional de Psicossomática (CIPS) desenvolve nos últimos 30 anos formação e investigação no âmbito da psicossomática relacional.

Resultado de uma primeira unidade de investigação em psicossomática, criada em 1987 pelo Prof. Sami-Ali na Universidade Paris VII, o CIPS está hoje radicado no meio universitário francês, nomeadamente em Paris e em Toulouse, mantendo ainda ligações a universidades em vários pontos do mundo como Bélgica, Suiça, Espanha, Portugal, Itália, Uruguai e Líbano.

Reconhecido pela Federação Francesa de Psicoterapia e Psicanálise, membro da Associação Europeia de Psicoterapia, o Centro Internacional de Psicossomática desenvolve acções de formação abertas a psicoterapeutas, psicólogos, médicos e outros profissionais de saúde.

Dirigido cientificamente pelo Prof. Sami-Ali, o CIPS conta com a colaboração de Silvie Cady – psicanalista, Directora do Centro de Psicossomática, de Jean-Marie Gauthier (Universidade de Liège) – Psiquiatra, Psicoterapeuta e de LEILA AL-HUSSEINI – Psicóloga e Arte-Terapeuta.

O Centro Internacional de Psicossomática publica uma revista em formato digital, a Psychossomatique Relationnelle, quatro números anuais que divulgam o trabalho de investigação em psicossomática relacional desenvolvido a nível internacional.


Livros em destaque – APPSI

Michael Eigen – Faith

35458Michael Eigen é um dos mais importantes e inovadores autores da Psicanálise contemporânea. O seu mais recente livro, Faith, aborda o papel da Fé no processo psicoterapêutico. O seu trabalho prévio distinguiu a fé das crenças que a organizam e que funcionam, segundo o autor, como uma defesa contra a Fé. Neste novo livro, aborda a experiência de Fé em si mesma e partilha as suas perspectivas e descobertas.
Os primeiros capítulos versam sobre as variações da Fé, como a natureza, bondade, beleza e o paradoxo do aumento da Fé através de experiências de dor e sofrimento. Relatos da própria vida do autor ligam-se a leituras criativas de Winnicott e meditações sobre o mal. Um capítulo é especificamente dedicado ao ensino e aprendizagem de Bion, que designava a fé como a atitude psicanalítica (ou a atitude psicanalítica como Fé). Um outro capítulo aborda as variantes quotidianas de participação mística e um momento climático na Zohar, uma parte fundamental da Cabala.
Considerado como uma meditação profundamente inspiradora acerca da vocação psicanalítica, o livro termina com entrevistas ao autor, acerca do seu desenvolvimento enquanto psicoterapeuta-psicanalista, as suas perspectivas a propósito da saúde mental e da sociedade actuais e uma nota relativamente ao trabalho sobre a Fé.

 

51s1luGsYrL._SX331_BO1,204,203,200_Frank Summers – The Psychoanalytic Vision: The Experiencing Subject, Transcendence, and the Therapeutic Process

Frank Summers enriqueceu-nos com a sua lucidez e presença cativantes no último Colóquio da APPSI/IARPP-Portugal. Figura de relevo na contemporaneidade da Psicanálise norte-americana (e não só), a sua última obra data de 2013 e oferece uma visão da terapia analítica em completa oposição ao sistema de valores culturais de objectificação, quantificação e materialismo, afirmando, assim, a importância do subjectivo em contraste com a cultura da objectificação.
Considera que a terapia psicanalítica, assente na filosofia fenomenológica da qual retira a sua epistemologia e fundamentos éticos únicos, não tem lugar para conceitos reificados. Deste modo, Frank Summers reformula noções fundamentais, como o inconsciente e o intrapsíquico, de modo a eliminar elementos de reificação.
Numa abordagem teórica e clínica original, The Psychoanalytic Vision oferece uma reformulação de aspectos clínicos fundamentais, tais como sonhos, tempo e a experiência do outro, devidamente acompanhados de ilustrações clínicas pertinentes.
A última parte do livro lança ainda um olhar pertinente ao papel que as crenças e os valores da cultura contemporânea desempenham nas mais diversas formas de psicopatologia.

 

51GFboEuHHL._SX331_BO1,204,203,200_Neil Altman – Psychoanalysis in an age of accelerating cultural change: spiritual globalization

O mais recente livro de Neil Altman aborda as questões de saúde mental nos sectores público e privado do mercado de trabalho, enfatizando as dificuldades dos centros comunitários de saúde mental que, com crescentes limitações, tendem a promover terapias de curta duração e o uso de medicação, ao mesmo tempo que a Psicanálise permanece como uma abordagem apenas ao alcance de poucos. Altman considera que a saúde mental tem sofrido com o mútuo isolamento da Psicanálise, do trabalho clínico comunitário e dos estudos culturais.
Defende, deste modo, e demonstra-o ao longo do livro, que estas diversas áreas de estudo se enriquecem e potenciam mutuamente: a Psicanálise beneficia em se alargar e imiscuir nas comunidades marginalizadas; o trabalho clínico comunitário ganha uma expressão diferente com os conceitos psicanalíticos e todas as formas de trabalho clínico beneficiam com um maior conhecimento do meio cultural em que se inserem.
Fortemente influenciado pela vasta experiência clínica e comunitária do seu autor, o livro segue uma linha de pensamento original e sustentada em descrições clínicas enriquecedoras, explorando as diferenças culturais a propósito da concepção de saúde mental, mantendo como pano de fundo constante as noções de globalização e o seu efeito nas pessoas, desde o respectivo impacto psicológico aos recursos e programas disponíveis que visam providenciar apoio psicológico a um nível internacional.
Uma obra de grande relevo e interesse para psicanalistas, psicoterapeutas, estudantes e profissionais comunitários.


Oradores do VI Colóquio Anual APPSI

Oradores do VI Colóquio Anual APPSI

Corpo, Gesto & Sonho: Em redor da Psicossomática Relacional

Data: 19, 20 e 21 de Novembro de 2015

Local: Escola Superior de Educação de Lisboa| Campus de Benfica do IPL.

Consulte o programa do evento >  

Faça aqui a sua Inscrição online >

 

Conheça os participantes e oradores do Colóquio (PDF) >

Oradores partilharam connosco algumas palavras relativas ao Colóquio “Corpo, Gesto & Sonho: Em redor da Psicossomática Relacional”.

Jean Marie Gauthier

Jean-Marie Gauthier é pedopsiquiatra, psicoterapeuta professor na Universidade de Liège, Bélgica membro do Centre International de recherche en Psychosomatique de Paris onde dirige grupos de investigação sobre a importância da etologia na psicologia e psicopatologia da criança.

A La Rencontre du Geste; Psychosomatique de l’Identité.” com tradução simultânea.

j’attends de ce colloque la possibilité d’échanger et d’avoir des discussions théoriques et cliniques avec des collègues.
ma communication ne se situe pas dans le droit fil de la psychanalyse car je donne une importance toute particulière au corps comme source et organisateur du fonctionnement psychique qui au départ n’est pas centré sur le sujet mais se situe dans l’interaction entre le bébé et son entourage si bien qu’on peut penser que la pensée est dans cette interaction plus que dans la tête de chacun des ^partenaires de celle-ci. Cette perspective qui s’éloigne ainsi du modèle classique de la psychanalyse, donne une importance primordiale aux gestes effectués par le bébé au sein de cette interaction. Le bébé ne vient pas au monde démuni mais équipé de potentialités gestuelles qui sont autant de moteurs pour établir des interactions et développer des processus de pensée.

Espero que este colóquio permita a troca de opiniões e discussão teórica e clínica com colegas. A minha comunicação não está em linha com a  psicanálise pois eu dou uma particular importância ao corpo como fonte e elemento organizador do funcionamento psíquico. Funcionamento este que não está centrado no sujeito mas situa-se antes na interacção entre o bebé e o ambiente que o rodeia, embora possamos pensar que o pensamento esta antes na própria interacção e não na cabeça de cada um dos intervenientes desta. Esta perspectiva afasta-se do modelo clássico da psicanálise dá uma importância primordial aos gestos realizados pelo bebé no seio dessa interacção. O bebé não nasce incapaz mas antes munido de potencialidades gestuais que são motores para estabelecer as interacções e desenvolver os processos do pensamento.

…………………………………………………………………………………………………………………………………

Leïla Al Husseini

Leïla Al Husseini é Psicologa; arte-terapeuta; membro do CIPS (Centre International de Psychosomatique) onde participa em investigação sobre angústia, depressão a alergia e a doença de Alzheimer. É nossa convidada.

“Dépression, Angoisse et Art Therapie Relationelle” com tradução simultânea.

 

A Arte terapia e a psicossomática relacional

A minha prática como arte terapeuta resulta da minha dupla formação:

No campo das artes em pintura, história de arte e história e estética do cinema, e no campo da psicologia clinica em psicossomática relacional e arte terapia.

Desde o início da minha prática que privilegio o atelier como espaço para a minha atividade terapêutica. A minha atenção foca-se na relação que se pode criar e desenvolver com o paciente. Esta relação traduz-se numa verdadeira presença junto do outro o que lhe permite existir enquanto sujeito. Esta relação, longe de ter um teor de complacência sentimental, torna-se um lugar de dinâmica criativa e de uma intensa recetividade para conseguir perceber quem é esse outro. (ce qui est).

O trabalho terapêutico serve-se principalmente de uma técnica onde a pintura ou a colagem desempenham um papel essencial para a libertação dos afetos. O sonho e o afeto ocupam um espaço importante e construtivo no trabalho terapêutico o que permite ao paciente se ligar ao seu vivido.

A minha prática clínica consiste portanto numa exigência criativa e realiza-se na relação entre terapeuta e paciente.

Ler texto completo >

…………………………………………………………………………………………………………………………………

Sylvie Cady

Sylvie Cady, é Psicanalista Diretora do CIPS-Centre International de Psychosomatique (Paris) Especialista em Psicossomática Relacional.

Imaginaire et Pathologie

Imaginário e patologia psicossomática.

En ce qui concerne la psychosomatique relationnelle

“Le phénomène psychosomatique le plus simple est fourni par la relation, entre le fonctionnement psychique et la situation relationnelle, dans laquelle le sujet se trouve impliqué “.nous dit Sami-Ali.

En effet, le lien entre le phénomène psychique et la pathologie, passe par la situation relationnelle .Celle-ci peut être conflictuelle avec issue, plus précisément ici, sans issue ou impasse. Et on remarque que cette situation signifie l’enfermement .Elle n’est pas le fait de la situation visible, dans laquelle apparait la symptomatologie, car les prémisses de cette situation relationnelle s’inscrivent dans son histoire ancienne.

Mais ce qui détermine le fonctionnement psychique, c’est la relation à la voie onirique. Ici, l’existence personnelle du sujet dans la relation, permet au rêve de faire entièrement partie du soi, en harmonisant rêve et réalité dans la relation .Ceci permet une meilleure compréhension des éléments de vie.

La dépression fait fonction d’impasse, elle est un élément important, à prendre en compte dans la psychothérapie.

La relation est ce qui conduit la psychothérapie. Initialement, elle se trouve désinvestie par l’imaginaire mis hors circuit dans l’organisation psychique. Une fois l’imaginaire retrouvé, il vient investir la relation et lui donner un fonctionnement projectif, qui transforme la donnée relationnelle.

C’est pourquoi, en psychosomatique il est question de relation. La conférence de Sylvie Cady traitera du thème : Imaginaire et Pathologie Psychosomatique.

C’est à partir d’une observation clinique, autour d’une pathologie cancéreuse, que je vais aborder l’étude du phénomène relationnel, en psychosomatique relationnelle. La psychothérapie relationnelle, à partir de la relaxation va servir de lieu d’observation:

Melle V, 30 ans, est célibataire, elle est aux prises avec une dépression importante depuis son licenciement, une affaire relationnelle. Elle se traduit initialement par de forts sentiments d’abandon, une sensation de fatigue, de tristesse, des troubles de la mémoire, un sentiment de solitude, une insatisfaction globale de sa vie car elle n’a pas réussi professionnellement. Autour de cette dépression une absence du souvenir des rêves, marque une coupure entre le sujet et lui-même, ce qui l’empêche de trouver des solutions à ses difficultés.

“Deux ans après son licenciement, on constate une dépression plus profonde “la dépression, avec son absence de motivation et d’énergie pour s’en sortir, est une situation bloquée” précisera plus tard la patiente, au cours de la relaxation psychothérapique relationnelle. Autour de ces éléments conflictuels qui créent une situation d’impasse, un cancer du sein apparait.

“ O fenómeno psicossomático mais simples é apresentado pela relação entre o funcionamento psíquico e a situação relacional, no seio da qual o sujeito se encontra envolvido!- diz-nos Sami Ali.

Na realidade, a ligação entre o fenómeno psíquico e a patologia passa pela situação relacional. Situação essa que pode ser conflituosa, sem saída aparente ou num impasse tomando a forma de uma prisão. Não é na situação visível que aparece a sintomatologia mas sim nas premissas em que esta situação relacional se inscreve na sua história antiga.

Mas o que determina o funcionamento psíquico é a relação à via onírica. Aqui a existência pessoal do sujeito na relação permite ao sonho de fazer parte integrante do eu, harmonizando sonho e realidade na relação. Isto permite uma melhor compreensão dos elementos de vida.

A depressão faz a função do impasse, ela é um elemento importante a tomar em consideração na psicoterapia.

A relação é o que conduz a psicoterapia. Inicialmente, ela é desinvestida pelo imaginário excluído da organização psíquica. Depois de reencontrado esse imaginário ele vai investir na relação e dar-lhe um funcionamento projetivo que transforma os dados relacionais.

É por isto que em psicossomática implica a relação.

O tema da conferência de Sylvie Cady será: Imaginário e patologia psicossomática.

É a partir de uma observação clínica em torno de uma patologia cancerígena que irei abordar o estudo do fenómeno relacional em psicossomática relacional. A psicoterapia relacional, a partir do relaxamento e que servirá como lugar de observação:

A senhora V, 30 anos, solteira enfrenta uma forte depressão depois do seu despedimento, um caso relacional. Esta depressão traduz-se inicialmente por fortes sentimentos de abandono, uma sensação de fatiga, de tristeza, perturbações de memória, um sentimento de solidão, uma insatisfação global com a sua vida pois não teve sucesso profissionalmente. Em torno desta depressão a falta de recordações de sonhos marca uma rutura entre a sujeita e ela própria o que a impede de encontrar solução para as suas dificuldades.

Dois anos após o seu despedimento, a depressão agrava-se “ a depressão, coma sua falta de motivação e energia para a superar, é uma situação de bloqueio”, descreverá mais tarde a paciente, no decurso da psicoterapia relacional. A partir destes elementos conflituosos que criam uma situação de impasse, surge um cancro da mama.

…………………………………………………………………………………………………………………………………

Vera M. Catalão de Oliveira

Vera M. Catalão de Oliveira, é Psicomotricista, Mestre em Psicossomática, Professora Assistente no Departamento de Desporto e Saúde da Universidade de Évora e Directora Clínica do INCORP – Instituto do Conhecimento Relacional e da Psicomotricidade.

A Linguagem dos nossos desencontros, um trabalho do corpo e da relação no autismo.

“Este Congresso será memorável! Surge numa altura em que a nossa Humanidade ensaia resgatar o valor das “modestas” formas de expressão: motora, sonora, plástica, rítmica (…), que fazem parte do Homem e das suas Raízes mais orgânicas. As Terapias Relacionais deixaram-se envolver, pois encontraram nessas mesmas formas de expressão, ferramentas de trabalho com consistência científica e rigor clínico.

A minha expectativa é claramente muito elevada, pois reúnem-se grandes especialistas. Como Psicomotricista Relacional, não faz ideia do orgulho que tenho em participar neste Congresso. Estarei numa mesa redonda muito bonita, que se intitula: “Psicomotricidade Relacional – O Corpo nas Velas do Sonho” com a Dra. Maria José Vidigal, a Dra. Pia Kramer e o Dr. João Costa, pessoas que estimo muito!

“Partilharei convosco uma História… ilustrada com imagens em movimento, que representam 9 anos de Terapia Psicomotora com um menino, onde o Corpo, o Gesto e o Sonho são também alguns dos suportes enfatizados.”

…………………………………………………………………………………………………………………………………

 


VI COLÓQUIO ANUAL APPSI

CORPO, GESTO E SONHO

Em redor da Psicossomática Relacional

Comissão Organizadora:
Frederico Pereira (Presidente)
Maria de Jesus Candeias (Coordenadora)
Ana Neves
Celeste Brás
Fernando Silva
Gonçalo Neves
Luisa Cruz
Mónica Lopes da Silva
Madalena Paiva Gomes
Paula Mora Roriz
Rita Trigueiros
Sérgio Silva

 

Lisboa 19, 20 e 21 Nov 2015
ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE LISBOA

Campus de Benfica do IPL | Lisboa (Como chegar – pdf)

 

Pré-Programa do Colóquio

Quarta-feira – 18 de Novembro 2015

Exposição de Pintura de Sami Ali
Galeria Movimento de Arte Contemporânea (MAC)

Inauguração dia 18 de Novembro pelas 19h00

Exposição de 16 de Novembro, a 4 de Dezembro.

Local: Av. Álvares Cabral, 59/60, Lisboa

www.movimentoartecontemporanea.com/mac/

 

Quinta-feira – 19 de Novembro 2015

Workshop 

 

10:30h – 12.30h
Sessão de Trabalho com Sami Ali
Diretor Científico do Centro Internacional de Psicossomática e Unidade
de Investigação em Psicossomática da Universidade de Paris.

Participação por convite

Local: Sede da APPSI, Avenida Guerra Junqueiro, nº 2, 2º

 

Programa do Colóquio

Local: Escola Superior de Educação de Lisboa

17:00h – Abertura do Secretariado

17:30h – 19:30h – Workshops Clínicos

Workshop 1 – APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DE CASO CLÍNICO (Sala 1)
Presidente: Mónica Lopes da Silva
Apresentação: Margarida França
Orientadora: Maria José Vidigal

Workshop 2 – APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DE CASO CLÍNICO (Sala 2)
Presidente: Fernando Silva
Apresentação: Dina Cardoso
Orientador: Frederico Pereira

Workshop 3 – CORPO E MOVIMENTO (Sala 3)
Presidente: Paula Mora
Orientador: Guilherme Filipe

 

19:00h – Apresentação do Centre International de Psychosomatique de Paris (C.I.P.S.)
Presidente: Sami Ali
Oradores: Sylvie Cady, Jean Marie Gauthier, Leila Al-Husseini e Frederico Pereira

19:30h – Conferência de Abertura – CORPO, GESTO, SONHO: CORPO E RELAÇÃO
Presidente: Manuel Matos
Conferencista: Frederico Pereira

Conferência aberta ao público

Local: Auditório

20:15h – Discussão com a sala

20:30h – Jantar

21:30h – Projecção do Filme: HABLA CON ELLA, de Pedro Almodovar
Painel de discussão: Pedro Mexia, André Barata, Manuel Matos e Frederico Pereira

 


To Top

Sexta-feira 20 de Novembro 2015

Local: Auditório

Todas as conferências deste dia terão tradução simultânea

08:30hAbertura do Secretariado
Entrega de documentação e distribuição de aparelho para tradução simultânea.

09:00hSESSÃO DE ABERTURA DO COLÓQUIO
Frederico Pereira (Presidente da APPSI)
Cristina Maria Falcão Severo Ferreira Pinto Mendes de Freitas (Vice-Presidente da ESE)
Manuel Matos (Presidente da Comissão Científica da APPSI)

09:30hConferência – THEORIE ET CLINIQUE DE LA PSYCHOSOMATIQUE RELATIONNELLE
Presidente: Frederico Pereira
Conferencista: Sami Ali

10:15hConferência – IMAGINAIRE ET PATHOLOGIE PSYCHOSOMATIQUE
Presidente: Frederico Pereira
Conferencista: Sylvie Cady

11:00h – Intervalo

11:30hComentários: Frederico Pereira e Manuel Matos

12:00hDiscussão com a sala

12:30h – Almoço

14:00h Conferência – DEPRESSION, ANGOISSE ET ART THERAPIE RELATIONNELLE
Presidente: Manuel Matos
Conferencista: Leila Al-Husseini

15:15h  Conferência – A LA RENCONTRE DE GESTE: PSYCHOSOMATIQUE DE L’IDENTITÉ
Presidente: Manuel Matos
Conferencista: Jean Marie Gauthier

16:00h – Intervalo

16:30h – Comentários: Frederico Pereira e Manuel Matos

17:00h – Painel – O BEBÉ E O CORPO RELACIONAL
Presidente: Maria de Jesus Candeias
Comunicações: Pedro Caldeira da Silva e Frederico Pereira

18:00h – Discussão com a sala sobre os trabalhos apresentados
Mesa: Sami Ali, Sylvie Cady, Jean Marie Gauthier, Leila Al-Husseini, Frederico Pereira,
Manuel Matos e Pedro Caldeira da Silva.


To Top

Sábado – 21 de Novembro de 2015

Local: Auditório

10:00hConferência – A PROFUNDIDADE DA PELE: PARA UMA FENOMENOLOGIA DA SUPERFÍCIE
Presidente: Paulo Motta Marques
Conferencista: André Barata

10:45h – Conferência – O QUE PODE UM CORPO EM SOFRIMENTO
Conferencista: Nuno Miguel Proença

11:00hComentário: Frederico Pereira

11:30h – Intervalo

12:00h – Conferência – A MAGIA DO CORPO E A ONTOLOGIA
Presidente: Frederico Pereira
Conferencista: José Gil

12:45h – Comentários: Frederico Pereira, Nuno Proença e André Barata

13:15h – Almoço

14:30h – Mesa redonda – PSICOMOTRICIDADE RELACIONAL  O CORPO NAS VELAS DO SONHO
Presidente: Maria José Vidigal

O CORPO, O ESPAÇO E O OUTRO – João Costa
A LINGUAGEM DOS NOSSOS DESENCONTROS, UM TRABALHO DO CORPO E DA RELAÇÃO NO AUTISMO – Vera Maria Catalão de Oliveira
DANÇA, MOVIMENTO TERAPÊUTICO – Pia Krämer

15:30h – Discussão com a sala

15:50h Conferência – DO GESTO À REPRESENTAÇÃO
Presidente: Miguel Moita
Conferencista: Manuel Matos

17:35h – Comentário: Frederico Pereira

17:50h – Discussão com a sala

18:00h –  Intervalo

18:20h Mesa redonda – USOS DO CORPO: TEATRO E EXPRESSÃO
Presidente: Paula Mora
Comunicação: Guilherme Filipe
Comunicação: Jorge Silva Melo

19:00h – Painel de Encerramento

20:30h – Jantar do Colóquio

pdf

PROGRAMA DO COLÓQUIO (EM PDF)>

 

 

 

 

 


Candidaturas à Formação

CANDIDATURAS À FORMAÇÃO EM PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA

 

1ª Fase: 9 de Julho a 30 de Setembro 2015

 

Requisitos/documentos a apresentar:

– Mestrado em Psicologia / Licenciatura Pré-Bolonha (5 anos)

– ou Mestrado em Medicina / Ciências Médicas

– Carta de intenções dirigida à direcção da APPSI

– Síntese Curricular (máximo 3 páginas)

 

Contactos:

Sede da APPSI: Av. Guerra Junqueiro, 2, 2º 1000-167 Lisboa

Tel. 218493250 / E-mail: pt.appsi@gmail.com

Aguardamos a sua candidatura à formação e a membro da APPSI

Siga-nos no facebook!


Ciclo de Diálogos Clínicos 2016

Ciclo de Diálogos Clínicos 2016

O Ciclo de Diálogos Clínicos apresenta a actualidade do enfoque relacional em Psicanálise, promovido em Portugal pela APPSI, com a apresentação de casos clínicos e sua discussão informados pela Ética da Responsabilidade Face ao Outro e uma Hermenêutica da Confiança, pilares emblemáticos da Psicanálise Relacional.

Calendarização:

19 de Maio: Dr. Bernardo Couto

16 de Junho: Dr. Pedro Martins

7 de Julho: Dr. Gonçalo Neves

29 Setembro: Dra. Paula Mora

20 de Outubro: Dra. Celeste Brás

10 de Novembro: Dra. Elisabete Miranda

8 de Dezembro: Dr. Rui Augusto

Moderador: Dr. Miguel Moita

A Discussão é aberta aos participantes.

A participação neste Ciclo está reservada aos sócios da APPSI.


Page 1 of 212

Próximos Eventos